Criação, Diversos, O que é?

Papéis e suas aplicações

A escolha do papel no qual será impresso o material também é de grande importância para garantir um diferencial, tendo assim mais qualidade e ótimos resultados. Conheçendo os papéis e suas peculiaridades, a escolha em qual será o mais adequado se torna muito mais fácil. Para isso devem ser levados em conta o tipo de criação, tinta que será usada e as possibilidades de acabamento. Acredito que esse artigo irá auxiliar bastante nessas escolhas.

1. Escolha do papel se dá ao valor subjetivo

O custo: Quanto maior a tiragem, maior o custo relativo do papel. Em pequenas tiragens, a diferença de preço muitas vezes tende a compensar o papel mais caro, pelo valor subjetivo que será agregado.

A disponibilidade no mercado: Exceto no caso de papéis de uso mais frequente – coomo couchê e off-set – pode acontecer de um papel mais diferenciado não ser encontrado junto aos fornecedores. Por isso é indicado entrar em contato e fazer as reservas necessárias com certa antecedência.

As restrições técnicas: Alguns processos não permitem o uso de determinados papéis. Mesmo no caso do off-set – processo que aceita praticamente todos os papéis – há diferença de qualidade de acordo com as propriedades de cada tipo. Na dúvida, consulte uma boa gráfica.

2. Classificação dos papéis

Atualmente existem infinitas variedades de papéis no mercado, para diferenciar um modelo de outro existe umas classificações básicas.

Peso: Normalmente o peso varia entre 50 e 350 gramas. Quanto maior a gramatura, maior grossa é a folha, maior o peso, maior a opacidade – ou seja, é menos transparente, o que auxilia na leitura de páginas frente-e-verso – e maior o custo, já um papel de gramatura excessivamente baixa é bem mais barato, e faz sua publicação ser mais maleável, mas pode comprometer a apresentação e a futura conservação.

Por exemplo, 50 gramas é um papel mais fino, e, portanto o 350 gramas será o papel mais grosso. Isto define o peso e o volume do seu impresso final. O peso influencia no preço final da impressão.

Formato: Quanto mais bem definido o formato, maior o aproveitamento de papel, o que pode proporcionar economia. Isso não só vale para o custo, mas como para a consciência ecológica. Por exemplo, parece não haver muita diferença em um cartaz de 46 cm de altura por 32 ou 34 de largura, certo? São apenas dois centímetros a mais, e talvez fique mais “bonito” se ficar mais largo. No entanto, com 32 centímetros, cabem 4 cartazes em cada folha 2B, formato muito utilizado para impressões em grande escala. Com 34, apenas 2, havendo grande desperdício de papel. Considerando uma tiragem de 4 mil cartazes – o que não é muita coisa. Com 32 centímetros, são necessárias pouco mais de mil folhas de papel – considerando sobras para testes e erros – enquanto com 34 centímetros, são necessárias mais de duas mil. Sempre é bom nos informar com a gráfica sobre os formatos dos papéis disponíveis para a impressão que temos interesse em fazer. Gastando menos papel, o orçamento fica mais acessível, e nosso cliente mais feliz.

Cor: A cor do papel, muitas vezes, interfere na composição criativa das cores que usará em sua arte. Geralmente o papel escolhido é branco, tons amarelados ou caramelados tendem a ser associados com baixa qualidade.

Textura: A textura pode ser definida como o aspecto do papel – lisos, telados e outros – ou quanto ao seu grau de rigidez. A textura do papel geralmente é escolhida de acordo com a arte. Tomando o processo off-set como referência, quanto mais liso o papel, mais nítida e viva será a impressão.

O papéis com textura, por sua vez, tendem a singularizar o produto final, mas não são indicados para policromias, com grande exigência de nitidez nos detalhes – como livros de arte, por exemplo. Da mesma forma, devem ser evitados corpos de fonte muito pequenos – abaixo de oito pontos. Na serigrafia, na xerografia e na impressão digital, eles são conta-indicados no que confere a legibilidade e definição dos detalhes.

3. Tipos de papéis

Couchê: É um tipo de papel resistente, mais caro, amassa facilmente dependendo da gramatura. Graças a textura lisa e delicada, possui uma ótima qualidade de impressão. Uma característica do couchê brilho é que nas áreas que serão impressas – que terá tinta de impressão –  possuam um brilho acetinado em ambas faces. Já o couchê fosco possui menos brilho, maior tempo de secagem da tinta e é mais barato que o brilho. As gramaturas mais usadas são: 90, 120, 150 e 250 gramas. Suas principais aplicações são em: Cartão de visita, Folder, Flyers, Tags, Panfletos, Encartes de supermercados, Cartazes e outros.

Duplex: Mais conhecido como papelão. É composto por duas camadas de papel, sendo a primeira de branca acetinada e lisa, e a segunda, com uma pasta não branqueada – por isso o papel fica com essa cor. O verso do papel permite melhor qualidade e produtividade na hora da impressão. A gramatura do papel Duplex é 250 e 350 gramas. Suas principais aplicações são em: Calendário de parede, Sacolas, Caixas e Embalagens em geral.

Off-set: É o papel mais utilizado, e como possui bastante cola na sua composição, possui superfície uniforme. É um papel bastante branqueado – dos branqueados é o mais barato – encorpado, e possui textura fosca e resiste o melhor possível à ação da umidade, o que é extremamente importante para impressão em off-set. Além da vantagem do baixo custo, possui alta qualidade, com grande nitidez, cores vivas e intensas nas áreas impressas. A gramatura varia entre 56 e 240 gramas. Suas principais aplicações são em: Receituário, Papel Timbrado, Miolo de livros, Miolo de revistas em geral e Folhetos.

Papel reciclado: Como o próprio nome diz, é um papel reciclado. É um papel de qualidade, e o correto para fazer um diferencial ou algum detalhe diferente em seus trabalhos, por possuir textura única, e possuir tonalidade de reciclado – o que também pode não ser muito bom, pois as partes brancas não ficarão brancas. A gramatura varia entre 90 e 240 gramas. Suas principais aplicações são: Cartão de visita, Folder, Flyer, Receituário, Papel Timbrado, Contas, Tags, Pastas, Cartazes e outros.

Supremo: Possui bastante resistência e a superfície mais lisa do mercado, o que faz dele um papel super procurado e com altíssima qualidade. Possui um semi brilho, e tanto a frente como o verso são brancos. Aceita todos os recursos gráficos e geralmente é utilizado um acabamento especial, como verniz U.V. ou verniz fosco para dar mais brilho e durabilidade. A gramatura varia de 250 e 300 gramas. Suas principais aplicações são: Cartão de visita, Imã, Folhinha, Calendário de bolso, Calendário de mesa, Marcador de páginas e outros.

Fonte: Facing Pages, O design repaginado

Standard

One thought on “Papéis e suas aplicações

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s